30 maio 2007

A Base Aérea da Ota



Breve Resenha Histórica:

A Base Aérea da Ota foi criada em 31 de Dezembro de 1937 e instalada inicialmente em Alverca passando a ter em 1939, a designação de Base Aérea nº 2 (BA2).
Em 14 de Abril de 1940 as novas instalações, constituídas junto à povoação da Ota, são inauguradas e aí são activadas unidades operacionais com aviões "Gloster Gladiator", "Junkers JU-52" e "Junkers JU-86".
Em Maio de 1941, as aeronaves "Mohawk"; "Aircobra"; "Wellington"; "Hurricane"; "Spitfire" e "Blenheim" - vieram reforçar os efectivos da Base Aérea nº 2.
Parte destes aviões foram cedidos pela Inglaterra de acordo com o Tratado sobre a utilização dos Açores.
Em Janeiro de 1953 são aumentados à carga os primeiros aviões a reacção da FAP, dois "De Havilland Vampire".
Em 15 de Maio do mesmo ano, os primeiros 25 aviões "F-84 G Thunderjet" são aumentados à carga e tornam a BA2 a mais importante Base Aérea até ao fim da década.
No ano de 1960 a BA2 sofreu uma transformação radical, deixando de ser uma Base Operacional para ser uma Base de Instrução. Em Outubro de 1967 recebeu a 1ª recruta de Cadetes Milicianos voluntarios. Em Novembro de 1976 foi criado o Centro de Instrução nº 2 (CI2), para a instrução elementar de pilotagem (com aviões Chipmunk), especialistas de radar e para a integração das escolas de formação e preparação militar técnica.

Em 1992 a designação de Base Aérea nº2 é alterada para Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea (CFMTFA), integrando o acervo que constitui o património logístico e administrativo da BA2 e CI2, assumindo todos os deveres e obrigações inerentes aos orgãos desactivados.
O Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea (CFMTFA) tem por Missão:
Ministrar a formação militar, humanística, técnica e científica do pessoal da Força Aérea, cujo âmbito não seja coberto pelos outros orgãos da Força Aérea.
Ao CFMTFA compete ministrar cursos: De formação e promoção de sargentos dos quadros permanentes;
De preparação militar geral, complementar e técnica dos regimes de contrato (RC);
De especialização, de qualificação e actualização;
De formação profissional de pessoal civil da Força Aérea;
De formação em áreas de reconhecido interesse para a Força Aérea ou estabelecidos por acordo do MDN com entidades nacionais ou estrangeiras.

Porta de Armas da Ota